Estamos num bairro maravilhoso

O Teatro Verdi se encontra em pleno centro da cidade, no bairro de Santa Croce. É o maior dos quatro bairros medievais na qual Florença está dividida, o único que se estende em ambas as margens do Arno.

Monumento principal é com certeza a igreja de Santa Croce com fachada em mármore situada em posição dominante na praça homónima. No interior da basílica encontramos tumbas de artistas ilustres como Nicolò Machiavelli, Vittorio Alfieri, Michelangelo e o sepulcro de Galileo Galilei. A praça tem uma forma retangular e a cada ano em Junho hospeda o futebol histórico florentino, talvez o evento mais importante de Florença, onde os jogadores (calcianti) dos 4 bairros (representados pelas cores, vermelho Santa Maria Novella, verde San Giovanni, azul Santa Croce e branco Santo Spirito) se encontram em partidas de futebol medieval. A partida mais importante foi disputada em 17 de Fevereiro de 1530 quando a República Florentina lançou um desafio ao imperador Carlo V, estabelecido na cidade.

Santa Croce é um símbolo de prestígio de Florença, o local de encontro dos maiores artistas, teólogos, religiosos, literários, humanistas que determinaram, na boa e na má sorte, a identidade da cidade tardo-medieval e renascimental.

De lado da igreja, se encontra o monumento em mármore de Dante Alighieri realizado por Enrico Pazzi em 1865. Do lado oposto, está presente um fonte com restauração de Giuseppe Manetti de 1816 de um fonte barroca de Pietro Maria Bardi, de 1673.

Prosseguindo para o sul, ao atravessar o rio, encontramos o Forte Belvedere e sobre uma colina dominante o Piazzale Michelangelo.

Apesar da área ser muito frequentada por turistas, manteve ainda o seu perfil original: ao passear pelos becos e as pequenas praças irá descobrir mercearias e lojas não turísticas e museus menores na dimensão, mas não menos interessantes.

Por exemplo, o Museo Horne, o Museu de História da Ciência, Casa Buonarroti. O primeiro hospeda uma pequena mas significativa coleções de pinturas, esculturas, recolhida exatamente pelo crítico de arte Horne, que viveu aqui. O segundo é uma espécie de templo dedicado à Galileu Galilei e expõe entre as outras coisas, os seus telescópios e a lente por ele usada para descobrir os maiores satélites de Júpiter. Na via Ghibellina, no número 70, viveu por pouco tempo Michelangelo Buonarroti. Se quiser pode visitá-la pela manhã para dar uma olhada também na coleção de obras do artista que foram recolhidas aqui.

Santa Croce é repleta de pequenas e graciosas ruas onde é ainda possível encontrar lojas artesanais de moldureiros, restauradores e antiquários, mas também restaurantes e trattorias de menus convidativos e de ambiente característico. Alguns deles, os descrevemos na seção Blog deste sítio.

Coisas curiosas para ver | Conselhos

Filistrucchi  há 300 anos a maquilhagem e perucas do espetáculo florentino | Mapa

Gelateria Vivoli E’ considerada por ser a sorveteria mais antiga da cidade (fundada em 1929) |Mapa